Patologias

Perturbações da Linguagem

O atraso no desenvolvimento da linguagem é caracterizado pela ausência do surgimento da linguagem no período em que ela deveria ocorrer ou por um desenvolvimento abaixo do esperado para a idade na qual a criança se encontra, tanto a nível da compreensão como da expressão verbais.
A criança apresenta características linguísticas semelhantes às de uma criança mais nova.
As alterações ocorrem em todos os níveis linguísticos.

Perturbação Específica do Desenvolvimento da Linguagem

Perturbação da Escrita

Afasia

Comprometimento em algumas áreas da linguagem da criança (sintaxe, semântica, fonologia, pragmática).Nestes casos não existem alterações orgânicas, neurológicas, emocionais ou ambientais que justifiquem esta dificuldade.

Associada a crianças em idade escolar, que se encontram num processo de aprendizagem ou em consequência de lesão neurológica (p.e: dislexia fonológica, disgrafia, disortografia).

Perturbação da linguagem adquirida por lesão cerebral. Afecta as estruturas cerebrais responsáveis pelo processamento da linguagem.

Sintomas
Alterações da linguagem oral e escrita e da compreensão verbal e não-verbal. Afecta a comunicação, a relação interpessoal e a relação da pessoa consigo própria, podendo ser agravada pela ocorrência de perturbações associadas, como demências e perturbações motoras, entre outros.

Perturbações da articulação e fluência verbal

A articulação verbal consiste na produção e uso adequado de sons da fala através das estruturas do tracto vocal para a comunicação oral.

Perturbação Fonológica

Perturbação Articulatória Fonética Disartria Apraxia Disfluência (gaguez)

Substituição ou omissão de sons existentes no português e resulta na sua maioria, de atrasos no desenvolvimento da linguagem.

Alteração da fala devido a alterações orgânicas/uso incorrecto dos órgãos envolvidos na produção articulatória – lábios, língua, bochechas, etc., resultando na distorção e omissão de sons. Perturbação da fala por lesão do sistema nervoso central ou periférico e é caracterizada por uma descoordenação entre a respiração, a articulação, a ressonância e a prosódia. Perturbação da fala que provém de uma alteração da programação motora secundária. É uma perturbação na fluência normal e na organização temporal da fala inadequadas para a idade da criança/adulto.

Sintomas

A criança não domina um ou mais sons, podendo o seu uso ser influenciado pela sequência fonológica da palavra ou da frase. A criança não domina o padrão correcto de articulação de um ou mais sons, como tal, não os consegue produzir em nenhum contexto (som isolado, sílaba, palavra). Fraqueza muscular, lentidão de movimentos assim como pela descoordenação de movimentos. Dificuldade em programar intencionalmente o acto motor inerente à produção da fala ou pela dificuldade em executar os movimentos necessários que dão origem às palavras. Repetições de sons e sílabas; prolongamento de sons; palavras fragmentadas; bloqueios audíveis ou silenciosos; palavras produzidas com excesso de tensão física, etc. Com menor frequência, pode se verificar comportamentos opostos, caracterizados por um débito aumentado.

Capacidade Vocais

A voz é um dos veículos de comunicação. Uma vez que depende da configuração, tamanho e saúde das estruturas anatómicas é individual e única para cada indivíduo, pelo que se torna insubstituível nas interações sociais e, frequentemente, no desempenho profissional.

Deglutição

A deglutição consiste na preparação e transporte do bolo alimentar da cavidade oral até ao estômago. É um processo fisiológico complexo que depende da coordenação de estruturas musculares e do controlo neurológico.

Perturbações Vocais

Perturbações da Deglutição

Alteração, aguda ou crónica, do sistema laríngeo; Origem orgânica (congénita, traumática, inflamatória, etc.) ou funcional (psicogénica, por abuso vocal, ou por tensão muscular); Ocorre em crianças, adolescentes, adultos ou idosos; Dificuldade de coordenação da deglutição; Alteração na preparação e/ou transporte do bolo alimentar; Origem neurológica (ex.: sequelas de AVC), mecânica (ex.: ressecções cirúrgicas) ou psicogénica; Ocorre em crianças, adolescentes, adultos ou idosos.
Sintomas

Consequências

Rouquidão, fadiga vocal, tensão vocal, afonia, reduzida ou elevada intensidade e/ou frequência vocal, híper ou hiponasalidade. Asfixia, pneumonia de aspiração, desidratação, má nutrição e até mesmo morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *