Desabafos

A decisão de consultar um psicólogo nem sempre parte de nós. Às vezes somos “empurrados” por alguém que acha que temos um problema ou que não estamos a lidar bem com esta ou aquela situação.
Claro que por vezes sentimos que quem insiste para irmos ao psicólogo é que talvez precisasse de algum suporte… No entanto, se as pessoas que gostam de nós estão preocupadas connosco, alguma coisa se passa. Mesmo que não saibamos bem o quê, o melhor é tratar do assunto.
E que tal experimentar ir ao psicólogo? Quem sabe até tinha só uma palavrinha para dizer e 50 minutos podem mudar uma vida.
Investir na nossa saúde mental deve ser sempre uma prioridade. A verdade é que valorizamos muito a saúde física, mas muitas das doenças do corpo associam-se ao funcionamento psicológico.
Nesse sentido, ir ao médico é tão importante quanto ir ao psicólogo quando se precisa de ajuda em questões de natureza emocional. Todas as pessoas têm direito a cuidados básicos de saúde, pelo que na Psicólogos Associados os preços podem variar de acordo com a situação financeira atual da pessoa e o tipo de intervenção.
Nós também não! As intervenções psicológicas funcionam como suporte em alturas difíceis e de grandes mudanças, procurando evitar situações de grande sofrimento ou desequilíbrio. O principal objetivo do psicólogo é ajudar a capacitar a pessoa para que ela se consiga reorganizar e continuar o seu percurso de vida naturalmente, ficando com um recurso disponível que pode ser utilizado sempre que necessário, sem dependências.
Na verdade, o trabalho do psicólogo implica um compromisso consciente da pessoa que vem à consulta, o que significa que é preciso ter pelo menos algumas das suas capacidades a funcionar.
A psicoterapia trabalha na área da saúde mental e não da doença, permitindo um maior auto-conhecimento e a reestruturação de padrões de comportamento, estilos de pensamento, crenças e emoções que por vezes comprometem a vida diária. É uma estratégia eficaz e duradoura no tratamento complementar de perturbações do humor e da ansiedade, entre outras.
Se pediu ajuda a um psicólogo, com certeza não está maluco!
Ir ao psicólogo é um ato de coragem. Olhar para as nossas partes difíceis, ouvir-nos ao espelho e ainda o compromisso de trabalhar arduamente durante várias sessões… É mesmo difícil.
Às vezes ainda não é a altura certa para nos entregarmos à psicoterapia. Outras vezes, não nos entendemos bem com o psicólogo. É muito importante valorizar o que sentimos, garantindo que estamos verdadeiramente acompanhados e a evoluir. E já agora dar oportunidade para nos reencontrarmos com novas abordagens, novas pessoas e novos psicólogos se for o caso.